Onde e Quando

Programação de Julho: a Casa Das Rosas Visita Pagu

Casa das Rosas dedica o mês de 
julho ao centenário de nascimento de Pagu

A Casa das Rosas visita Pagu. Continua no mês de julho a celebração do centenário de nascimento de Patrícia Galvão (1910-1962). Foram programadas diversas atividades, apresentações, oficinas, reflexões e releituras das múltiplas facetas dessa poeta, intelectual, militante política e jornalista. Acompanhe a programação e conheça um pouco mais da historia, obras e pensamento de Pagu. 

VIVA PAGU
Curadoria: dra. Lúcia Maria Teixeira Furlani.
Colaboração: Geraldo G. Ferraz e Rudá K. de Andrade.
De terça-feira, 1º de julho a 8 de agosto.
Abertura: 1º de julho, 20h

Em 2010, Pagu completaria 100 anos. Em sua homenagem, a Casa das Rosas, em parceria com a Universidade Santa Cecília, de Santos, recebe a exposição "Viva Pagu". Na abertura, será lançado o livro Viva Pagu – Fotobiografia de Patrícia Galvão, de Lúcia Maria Teixeira Furlani e Geraldo Galvão Ferraz (Unisanta e Imprensa Oficial)

Admirável Parque Industrial 
Com Lívio Tragtenberg.
Sextas-feiras, 16 e 23 de julho, da 20h às 21h

Uma rapsódia de transfiguração sonora e visual a partir do romance Parque industrial (1933), de Patrícia Galvão, criada pelo compositor Lívio Tragtenberg, com vídeos, música e voz ao vivo. O romance proletário dialoga com a atualidade de uma metrópole que se revela por meio de vertigens sonoras e visuais. Os vídeos são de Roberto Moreira e Georgia Costa.

Pérsia-Irã: Poética do olhar
Curadoria e coordenação: Lelia Maria Romero.
Sexta-feira, 2 de julho, às 19h

O projeto Viajarte apresenta culturas pouco ou mal conhecidas ao tentar resgatar a poética do olhar nas viagens: o Irã contemporâneo como herdeiro da grande Pérsia, contradições e desafios de uma cultura cheia de delicadeza e poesia, através do depoimento de viajantes. Palestra, poemas, música e imagens. 

Angu de Pagu
Sábados, 24 e 31 de julho, às 20h
O espetáculo conta a história de diversas "Pagus" por meio de informações que não seguem uma linha cronológica, formando um esqueleto que traça sua trajetória em seis momentos marcantes por sua intensidade. Mulher de inúmeros matizes, libertária por excelência, de Joana d'Arc a Rosa de Luxemburgo, uma combinação dos mais puros e profundos sentimentos de liberdade. 
Direção e concepção: Gal Martins.
Intérpretes-criadores: Cléia Varges, Felipe Santana, Jean Valber, Barbara Santos, Lenny de Sousa, Marcela Teixeira, Mazé Soares, Rodrigo Cândido e Welton Silva.
Coreografia: Gal Martins e intérpretes-criadores.
Coreógrafo convidado: Antonio Marques.
Assistência de coreodramaturgia: Adriana Coldebella e Siva Nunes.
Preparação corporal: Érika Moura.
Orientação de pesquisa biográfica: Gisleide dos Santos.
Trilha sonora: Gunnar Vargas.
Figurino: Gisleide dos Santos.
Produção: Marina Hohne.
Adaptação de textos: Siva Nunes e Welton Silva.
Fotos: Érick Diniz.

Projeto Revista Cultural
Com Os Babilaques
Sexta-feira, 30 de julho, às 20h

No mês de julho, a banda Os Babilaques fará um show especial dedicado inteiramente aos poetas marginais contemporâneos. Quem são, o que dizem e como atuam estes revolucionários das palavras. A apresentação terá muita poesia, música, dança e arte visual. O público pode e deve participar. Basta trazer um poema e deixar sua homenagem a todos aqueles que fazem da palavra uma maneira de ser e de estar.

PALESTRAS

Revelações de Pagu: em torno de escritos autobiográficos
Com Gênese Andrade.
Terça-feira, 6 de julho, às 20h

Pagu fez da vida ficção no primeiro texto de sua autoria de que se tem notícia, escrito no fim dos anos 1920. Em 1929, iniciou um diário a quatro mãos, com Oswald de Andrade. Já nos anos 1940, escreveu suas memórias em uma carta dirigida a Geraldo Ferraz, em forma de diário. Publicados apenas postumamente, esses textos expõem revelações e contradições, e instigam reflexões sobre a autobiografia, sobre as fronteiras entre a ficção e a confissão, entre o público e o privado, que serão apresentadas nesta palestra.

Pagu
Com Maria de Lourdes Eleuterio
Terça-feira, 13 de julho, às 20h

Atuação da jornalista e desenhista Pagu Galvão em O Homem do Povo (março/abril de 1931). Em várias seções do jornal, sob diversos pseudônimos, ela denuncia a moral vigente, a educação, os projetos destinados às mulheres, confirmando a linha editorial do panfletário impresso.

O Jornalismo de Pagu
Com K. David Jackson.
Domingo, 1º de agosto, às 20h

Durante 30 anos, Patrícia Galvão (Pagu) publicou suas colunas em São Paulo e Santos, começando, em 1931, com "A Mulher do Povo", até as últimas colunas n'A Tribuna, ainda assinadas como Mara Lobo. Na última, "Apertar o cinto" (26/3/61), afirma: "Nós ficamos. E lutaremos. Este o nosso até logo, embora sem saber para quando". Será para agora, com a coleção do jornalismo em livro?

Cursos Bimestrais 

30 vagas.
As inscrições podem ser feitas na recepção da Casa das Rosas, de terça-feira a domingo, das 10h às 18h. Documentação necessária: 1 foto 3x4; xerox do RG; xerox do comprovante de residência. Com entrega de certificado (mínimo de 70% de frequência). Taxa: R$ 10,00.

Face a face com Pagu
Com Susanna Busato.
Sábados 3, 10 e 17 de julho, das 15h às 17h

Há cem anos nascia Patrícia Rehder Galvão, ou simplesmente Pagu. Musa do Modernismo brasileiro, ativista política, jornalista, escritora e produtora cultural, Patrícia Galvão foi uma mulher intensa e sensível à vida e ao poder da palavra. Estes encontros com Pagu são para aqueles que ainda não a conhecem e desejam descobrir as faces dessa mulher. No dia 3 de julho, haverá a exibição do filme Eternamente Pagu.

OFICINAS

Oficina de Música ao vivo com cinema mudo, para crianças
Com Livio Tragtenberg.
Sextas-feiras, 2 e 16 de julho, das 15h às 16h30
Faixa etária: 7 a 12 anos.

O compositor e criador de trilhas de cinema, Livio Tragtenberg, cria, com as crianças, trilhas sonoras para curtos filmes mudos. As crianças participam ativamente dessas criações, trazendo objetos que possam produzir sons interessantes.

MEIO-DIA MOVIOLA

Cine Pagu 

Quintas-feiras, 8, 15, 22 e 29 de julho, às 12h30
Filmes indicados para maiores de 18 anos.
08 – Eh, Pagu, eh. 
15 – Pagu – livre na imaginação, no espaço e no tempo.
22 e 29 – O homem do pau-brasil.
SHOW

Crianças Crionças
Com Cid Campos.
Sexta-feira, 30 de julho, às 15h

O show Crianças Crionças, nesta versão pocket, traz, para o convívio das crianças, poemas infantis musicados e interpretados por Cid Campos que navegam pelo universo dos animais, vegetais e objetos, conferindo a estes características humanas, tecendo uma trama de relações curiosas em que predominam o humor, o lirismo e as paixões. O CD Crianças crionças (selo Sesc) estará disponível para venda.

ESPETÁCULO

Orfandade
Com Cia. Polivox.
Sábado e domingo, 3 e 4 de julho, 17h.
Ingresso: R$ 30,00.

Com textos da poeta mineira Adélia Prado, Orfandade é um solo da Cia. Polivox que retrata a história de uma mulher. Ela nos convida a participar de suas lembranças e a enxergar seu mundo através da poesia, da descoberta do amor e de detalhes de uma vida simples e corriqueira, que tem o cheiro e o sabor de memória.

SARAUS

Sarau da Casa
Sábados, 17 de julho, 20h.

Sarau aberto à participação do público, que terá a oportunidade de apresentar seus poemas. A cada encontro, o Sarau da Casa recebe dois poetas contemporâneos que são entrevistados pelos apresentadores do evento e fazem leituras de seus poemas. O objetivo é valorizar a multiplicidade e a pluralidade da poesia que está sendo produzida hoje. As inscrições para leitura de poemas são feitas na recepção da Casa das Rosas, durante o próprio sarau. 

Convidados: Deborah Goldemberg e Michel Sleiman. 
Música: Soledad Yaya.

Deborah Goldemberg é antropóloga e escritora. Trabalhar com desenvolvimento sustentável no Norte e Nordeste do Brasil. Publicou Ressurgência Icamiaba e O Fervo da Terra. É curadora do Sarau das Poéticas Indígenas e agitadora da literatura trans-brasileira. 

Michel Sleiman é diretor da revista Tiraz, de estudos árabes e das culturas do Oriente Médio. Publicou os livros A poesia árabe-andaluza e A arte do Zajal, entre outros. Atualmente leciona e orienta na pós-graduação na Universidade de São Paulo, na área de Língua e Literatura Árabe. 

Poetas da Casa
Curadoria: Maria Alice Vasconcelos.
Domingos, 25 de julho, das 17h às 19h
Organizado pela poeta Maria Alice Vasconcelos, o sarau acontece mensalmente e conta com a participação de alunos e ex-alunos da Casa das Rosas – Espaço Haroldo de Campos, que leem textos próprios e de outros autores. 

Sarau Chama Poética
Vozes do Sul

Leituras e declamações: Fernanda de Almeida Prado e Alex Dias. 
Direção: Fernanda de Almeida Prado
Domingo, 18 de julho, às 17h

O Chama Poética convidou o Grupo Voz, formado por músicos gaúchos, com um belo repertório atrelado à poesia, para fazer este sarau e mostrar a produção do Sul de nosso país, em especial, a poesia de Mário Quintana.

BIBLIOTECA CIRCULANTE

A Biblioteca Circulante, especializada em literatura e poesia, é um local de livre acesso em que os leitores inscritos podem retirar até dois livros por vez, com direito à renovação, desde que não haja reserva nem dano ao material emprestado.

Cadastro de usuários
Documentos necessários: documento de identidade + cópia; comprovante de residência + cópia; 1 foto 3x4. Matriculados nos cursos oferecidos pela Casa das Rosas estão automaticamente cadastrados na Biblioteca Circulante.
Horário de funcionamento: de terça a sexta-feira, 10h às 21h; sábados e domingos, 10h às 18h. 

EXPOSIÇÃO PERMANENTE

Visite a exposição dos móveis e objetos que compunham o escritório do poeta Haroldo de Campos e assista à exibição do documentário Galáxia Haroldo, gravado no Tuca, em 2003, em homenagem ao poeta, falecido em agosto daquele ano. 

VISITAS MEDIADAS 

Agendadas 
Terça a sexta-feira, das 10h às 12h e das 14h às 16h. 
Mínimo de 10 pessoas.