A 30 de Janeiro de 1933, foi nomeado um novo chanceler: Adolf Hitler


A 30 de Janeiro de 1933, faz hoje 75 anos, viveu-se um dos dias mais sombrios do século XX. Numa tentativa desesperada de resolver a crise política na Alemanha, o Presidente Paul von Hindenburg, na altura com 84 anos, usou poderes de emergência e nomeou o líder nacional-socialista, Adolf Hitler, para chefiar o novo Governo de coligação, que incluía conservadores católicos.

Hindenburg detestava Hitler e as razões da escolha são complexas. Mas ninguém poderia imaginar as consequências de uma decisão que hoje pode ser avaliada como um dos maiores erros políticos da História. No dia 30 de Janeiro de 1933 foi posta em marcha uma máquina de morte que provocaria dezenas de milhões de vítimas nos 12 anos seguintes.

A Alemanha estava no ponto mais difícil de uma complexa crise. Isto acontecia devido a uma depressão económica sem precedentes (um terço da população activa no desemprego), ao choque ainda vivo de uma derrota militar sem explicação, mas também ao medo do crescimento de outra força radical, o Partido Comunista.

Alguém que dissesse, em 1919, que apenas 14 anos depois os nacional-socialistas de Hitler chegariam ao poder, seria internado num manicómio. O partido fora formado por um grupo de soldados de baixa patente, desempregados e arruaceiros. E, no seu interior, ascendeu a figura de demagogo com discursos electrizantes, Adolf Hitler, de origem austríaca, e que fizera a sua fama num levantamento organizado de forma incompetente, em Munique, em 1923.



Passados dez anos, do ponto de vista dos industriais nos círculos do poder, Hitler quase parecia ter as habilitações para assumir o cargo de chanceler. Havia dois motivos para a benevolência da elite: o partido nacional-socialista tornara-se o maior da Alemanha, após conquistar as classes médias, e os políticos que orbitavam em torno de Hindenburg pensavam que podiam manipular o novo chanceler. Para alguns, ele não passava de um desordeiro da classe baixa, em queda de popularidade.

O mal triunfa quando é subestimado. Hitler aproveitou para se livrar dos partidos, começando pelos comunistas, que aprisionou no mês seguinte, após o incêndio do Reichstag, incidente atribuído a um comunista holandês que a Alemanha reabilitou apenas no mês passado. As perseguições aos judeus começaram logo em 1933 e, no fim do ano, a democracia estava exterminada.


http://www.enciclopedia.com.pt/news.php?readmore=117