Por que há "calmaria" no olho do furacão